sexta-feira, 24 de setembro de 2010

MEMÓRIAS DAS ESCALADAS NA COSTA VICENTINA 1978 - 1979



As minhas primeiras aventuras na Escalada na Costa Vicentina.
Passado cerca de um ano após me ter iniciado na prática da escalada nos blocos rochosos no Cerro da Cabeça em Moncarapacho, resolvi explorar o potencial da Costa Vicentina para o desenvolvimento desta actividade desportiva.
Falei com o meu colega de aventuras, Jean Michel, e escolhemos a zona entre Monte Clérigo e Amoreira (Aljezur) para realizar uma série de escaladas.
Fomos até Lagos onde apanhamos um autocarro que nos levou até Aljezur.
Iniciámos então a caminhada entre Aljezur e Monte Clérigo (cerca de 7 Km).
Chegados à Praia de Monte Clérigo montámos as tendas e nessa mesma noite houve fogueira na praia, umas cervejinhas e guitarradas.
Já conhecia razoavelmente aquelas paragens, dado que tinha amigos de Faro que passavam as férias do verão naquela zona e já os tinha ido visitar anteriormente.
Na manhã seguinte fomos para o local escolhido para as primeiras escaladas, uma falésia com cerca de 35 metros de altura situada na extremidade sul da Praia da Amoreira, junto à foz do rio.
Utilizámos corda dupla (40 m), pitons de fabrico artesanal, mosquetões, arneses de corda (cadeira suiça) e levei umas botas de montanha "vibram" que um amigo do meu pai me tinha trazido dos Estados Unidos.
A escalada decorreu sem problemas, indo eu à frente "a abrir" e o Jean a fazer segurança.
Recordo-me de ter escalado a cara do "Gigante Deitado"", uma formação geológica xistosa na Praia da Amoreira, tendo atingido o topo, neste caso o "Nariz do Gigante" onde viria a apanhar uns belos sustos principalmente na descida.
Ainda escalámos noutras zonas da Costa Vicentina, pondo em prática os conhecimentos adquiridos anteriormente.
Foram belas aventuras.