sexta-feira, 17 de setembro de 2010

MEMÓRIAS DO GRUPO DE ESPELEOLOGIA DESPORTIVA DE FARO 1980



Exploração da Gruta da Bita
Após as minhas primeiras aventuras na Espeleologia no Algarve 1979-1980, tive o privilégio de reunir um grupo de amigos em Faro e começar a praticar esta actividade na sua vertente desportiva.
Esses amigos meus eram: José Silva Lobo, Maria José Fazenda, José Pedro Fazenda, Sérgio, José Domingos, e José Guerreiro da Palma.
Escolhemos a Gruta da Bita, perto de Moncarapacho, para levarmos a cabo as primeiras aventuras espeleológicas.
Para lá chegar, apanhámos o comboio em Faro, descemos na Fuseta, e percorremos a pé o percurso até Moncarapacho, sendo o nosso objectivo a Gruta da Bita já na estrada para Estoi.
Após subirmos uma pequena elevação chegámos à entrada da gruta e montámos a escada (corda de nylon com degraus em pvc, de fabrico caseiro) e corda de segurança.
Colocámos os arneses (cintos de segurança) e ligámos as lanternas dos capacetes.
Descemos um primeiro poço com cerca de 10 metros de profundidade sem dificuldade de maior.
Este poço termina numa pequena sala, onde se encontra uma fenda vertical por onde passamos para ter acesso a outra sala bem maior, com estalactites, estalagmites e colunas, onde aproveitámos para tirar umas fotos.
Nessa sala, do lado esquerdo, encontrámos o acesso a mais um pequeno poço com pequena verticalidade e profundidade.
Decidimos então descansar um pouco e comer umas sandes que trouxemos de casa para repor energias.
Voltámos então à exploração da gruta, onde nos deparámos com mais um poço.
Decidimos avançar.
A meio desse poço descobrimos uma pequena passagem, difícil de transpor, que nos levou a outra sala onde encontrámos mais um poço vertical (chaminé), o qual igualmente explorámos.
Estivemos cerca de cinco horas a explorar os recantos desta gruta, encantados com a beleza e espectacularidade que só o mundo subterrâneo nos permite observar.
Foram excelentes as aventuras que passámos na Espeleologia.