terça-feira, 28 de setembro de 2010

MEMÓRIAS DO MEU PRIMEIRO CUME 2009




O MEU PRIMEIRO CUME (ALMANZOR 2592 m) SERRA DE GREDOS ESPANHA

No ano de 2009 participei numa expedição de alpinismo ao pico Almanzor em Espanha.
Esta seria a minha oportunidade de conquistar o cume de uma grande montanha.
O ponto de encontro escolhido para o início desta aventura foi a localidade de Arenas de S. Pedro (Ávila) em Espanha, situada a pouca distância da região montanhosa denominada por Circo de Gredos onde tentaríamos a ascensão ao Almanzor, o seu pico mais alto.
Chegado a Arenas tive a oportunidade de conhecer os restantes membros da expedição, colegas que vinham de vários pontos de Portugal, Évora, Lisboa e Porto.
Ficámos uma noite instalados num "Hostal" da cidade, onde curiosamente o proprietário era um montanhista experiente e que nos colocou a par das condições meteorológicas previstas para os próximos dias, bem como o estado da neve e gelo.
As notícias eram animadoras transmitindo-nos um estado de confiança e aumentando a determinação.
No dia seguinte, bem cedo, preparamos o equipamento e deslocámo-nos ao local de acesso à montanha denominado por Plataforma (1770 m), onde deixámos as viaturas.
A partir daqui empreendemos uma subida de certo modo exigente que nos levou aos "Barrerones", local infelizmente famoso pelo facto das condições meteorológicas se alterarem num ápice, e onde se tem perdido muitos alpinistas.
Começámos então uma inclinada descida que nos levou à Lagoa que se encontrava gelada mas que decidimos contornar por motivos de segurança.
Chegámos ao Refúgio Elola (2000 m) onde recuperamos energias e tratamos do alojamento para a pernoita.
Nessa tarde fomos para a montanha onde praticámos exercícios de escalada em neve e gelo, onde nos deliciámos com a imensidão e beleza do espaço.
Regressámos ao Refugio de Alta Montanha onde jantámos e recolhemos às camaratas.
No outro dia ainda de madrugada tomámos o pequeno almoço, equipámo-nos, e com os frontais colocados nos capacetes iniciámos o ataque ao cume.
A primeira hora de progressão decorreu sem dificuldade de maior, mas a partir da "Portilla Bermeja" iniciámos uma subida muito inclinada que nos deu acesso à "Portilla del Crampon".
A partir daqui tivemos de escalar uma parede quase vertical de rocha e gelo e finalmente o cume!
Senti uma grande alegria e festejámos o sucesso da primeira parte da expedição porque faltava a sempre perigosa descida.
A via para a escolhida para o regresso foi a da "Portilla de los Cobardes", assim denominada por ter um aspecto intimidante e onde muitos alpinistas resolvem voltar para trás e regressar pela via do Crampon.
Ultrapassada essa passagem dirigimo-nos ao "Venteadero" e após mais uma exigente descida regressámos ao Refúgio.
Ficámos cerca de uma hora a recuperar energias e fizemos todo o percurso de volta até à Plataforma.
Regressei nessa noite a Portugal, satisfeito e orgulhoso com o sucesso desta expedição.
O meu primeiro cume já estava.