quarta-feira, 6 de outubro de 2010

MEMÓRIAS DAS AVENTURAS NO MAR DO NORTE 1992-1994



MAR DO NORTE PARTE I

Navegando num Rebocador até à Plataforma Perfuradora Trident IV 1992

Durante os dois anos que trabalhei na Plataforma Perfuradora (Gás Natural) no Mar do Norte, (sector Holandês) foram muitas as experiências por que passei.

Uma das mais interessantes foi ter navegado num Rebocador (abastecimentos).

Na Plataforma fazia turnos de quinze dias ( sendo os restantes quinze de férias ). Podia decidir vir a Faro ver a família e os amigos (viagens suportadas pela empresa), ou ficar a divertir-me em Amsterdão.

Desta vez tinha vindo a Faro e, como se tornou rotina, apanhava o avião para Lisboa, no Aeroporto de Faro , na Portela embarcava noutro voo para Amsterdão (geralmente com escala no Porto), e chegado a Amsterdão ia de comboio até Den Helder, onde passava a noite num Motel.

Na manhã seguinte ia para a Plataforma de Helicóptero.

Só que nesse dia havia muito nevoeiro na zona da Plataforma, e em vez de apanhar o Helicóptero, como era normal, recebi instruções para aguardar em Den Helder, embarcando num Rebocador (construído especialmente para navegar no Mar do Norte).

Cerca das quatro horas da tarde, dirigi-me ao cais de embarque e subi a bordo do Rebocador.

Saímos de Den Helder e tivemos de ultrapassar várias comportas elevatórias, dado que o porto se encontra abaixo do nível do mar.

Foram cerca de dez horas de viagem, apanhámos um pouco de mar, e já madrugada chegámos à Plataforma.

A manobra para me içarem para bordo da Plataforma foi deveras arriscada. É arriada uma "cesta", ( tipo cone ) com base redonda onde colocamos os pés e somos içados agarrados à rede exterior. Para chegar à cesta tive de aguardar as indicações dos tripulantes do Rebocador dado que o convés estava constantemente a ser varrido pelas vagas e uma queda ao mar seria fatal.

Tudo correu bem e fui içado para bordo da Trident IV.

Momentos que perduram para uma vida.

MAR DO NORTE PARTE II

No ano de 1992 apareceu-me a oportunidade para ser tripulante numa Plataforma Perfuradora (Gás Natural) no Sector Holandês do Mar do Norte.

Como me apercebi que iria ser uma experiência enriquecedora, candidatei-me e fui seleccionado.

Embarquei no avião para Amsterdão, com destino Den Helder, onde decorreram os primeiros testes e cursos.

Superados os testes médicos e psicotécnicos frequentei então vários cursos sobre evacuação "off shore", sobrevivência no mar, resgate por helicóptero, primeiros socorros, entre outros.

Acabada esta fase ainda recebi instrução sobre incêndios em plataformas.

Recebi então a "carta verde" (documento) que me permitiu integrar a tripulação da plataforma perfuradora Tridente IV, no Mar do Norte.

Dirigi-me ao Heliporto em Den Helder e embarquei num helicóptero com destino á plataforma.

Após cerca de 45 minutos de voo, pousámos no Helideck da Plataforma, manobra que requer grande perícia e destreza por parte dos pilotos.

Estive nesta plataforma cerca de dois anos (turnos de 12 horas diárias, durante 15 dias no mar, e 15 dias de férias em terra, consecutivos).

A empresa suportava os custos das viagens aéreas, pelo que de 15 em 15 dias vinha a Faro ver a família e os amigos.

Também optei, de vez em quando, prescindir da viagem e ficar por Amsterdão, cidade que fiquei a conhecer bastante bem.

Na plataforma vivi momentos que nunca vou esquecer, como as grandes tempestades no Mar do Norte, a componente tecnológica relacionada com a perfuração e testes do gás (queima) e alguns acidentes com trabalhadores, infelizmente fatais.