sábado, 23 de outubro de 2010

MEMÓRIAS DAS "LOUCURAS" COM AUTOMÓVEIS 1985-1988




No ano de 1985 recebi o convite por parte de uma empresa ligada ao ramo automovel para proceder ao transporte de viaturas para vários pontos do Algarve, bem como para Lisboa.
Organizámos então um grupo de amigos que se dedicaria ao transporte dos carros.
Nesses tempos não existia a Via do Infante e muito menos a A2 (só havia a ligação entre Setúbal e Lisboa).
Já tinha ouvido relatos impressionantes de condutores algarvios que fazendo o percurso entre Faro e Lisboa pela Serra do Caldeirão conseguiam tempos incríveis.
Considerando que tinhamos à nossa disposição uma frota com cerca de mil viaturas de variados modelos e cilindradas, chegara a hora de carregar no acelerador.
Começámos por escolher troços de terra batida sendo o eleito e nosso preferido o "Troço do Ludo" entre S. Lourenço e as Gambelas.
Quando havia transportes para o Barlavento Algarvio esse troço era percorrido nos dois sentidos em cada viagem.
Os carros chegavam inteiros, apenas com algum pó, mas também éramos nós que os tinhamos de lavar.
Igualmente o "Troço da Ti Ângela" em Faro, com os famosos "saltos" nos dava muito prazer e libertava grandes doses de Adrenalina.
A Rotunda do Liceu (paralelipipedos) era o local onde testávamos a nossa perícia, bem como o Largo de S. Francisco.
As viagens para Lisboa eram verdadeiramente alucinantes utilizando a EN 125, EN 2, e percorrendo o troço de Auto Estrada Setúbal-Lisboa, foram muitas as vezes que fizemos estes percursos (nos dois sentidos) baixando consideravelmente das três horas.
Recordo-me perfeitamente de uma das vezes ter saído do Aeroporto da Portela às dez da manhã e à uma da tarde sentar-me à mesa do restaurante Moreno (perto do Aeroporto de Faro), após cumpridas as formalidades de entrega da viatura transportada.
Infelizmente, durante estes anos tive conhecimento de alguns acidentes graves com colegas transportadores, mas a sensação de velocidade e risco, aliados à juventude irreverente, fizeram desses tempos, tempos de "loucura".
À memória dos que ficaram na Estrada.