domingo, 21 de outubro de 2012

ARTIGO DO DIRECTOR DO ALGARVE PRESS MANUEL LUÍS

LIVRO DE LUÍS NADKARNI ESGOTOU EM APENAS 48 HORAS - 19.10.12 Os primeiros exemplares do livro “Aventuras de uma Vida”, editado pelo nosso colaborador Luís Nadkarni, esgotaram em apenas 48 horas. Um sucesso também explicado pelo facto de há muito faltarem nos escaparates livros com protagonistas naturais de Faro, quase sempre relegados para um esquecimento e ostracismo daqueles(as) que, sendo naturais da capital algarvia, geralmente são secundarizados para se valorizar “estrangeiros” que mais parecem”feirantes” que andam de Concelho em Concelho a venderem a banha da cobra e, depois de venderem o stock, sem deixarem obra nem rasto, abalam para outros mercados mais promissores e rentáveis. Mas tudo se esquece porque até eram de Lisboa, Madrid, Paris, Londres ou Americanos e, para certos autarcas ou diretores regionais, melhores que os nossos e, por isso, lixe-se a crise, são apoiados, medalhados e pagos com muitas alvíssaras… Houve até um certo presidente de Câmara que se lembrou a medalhar uma porção de espanholada. Euromedalhas ou políticomedalhas porque é, naquela altura, moda, já que os que cá estão, pior ainda se forem cá nascidos, pintores, músicos, cantores, atores, escultores, calceteiros, escritores, mestres de obras, merceeiros ou outros profissionais, têm de esmolar, rastejar e implorar ou lamber mãos para serem, simplesmente, reconhecidos pelo seu valor e trabalho, prestigiante para Faro mas só reconhecido noutros areópagos. Num registo utilizando uma linguagem de cariz jornalística, nas “Aventuras de uma Vida” o autor conta neste livro as suas aventuras e peripécias, tendo como principal cenário a cidade de Faro, que para o Luís é a sua terra do coração. A Editora Algarvia 4Águas abriu uma nova chancela, denominada Edições Mandil, propositadamente para este livro. Mas quantos luíses Faro tem tido, que levam ou levaram o nome da sua terra além fronteiras e são ou foram ostracizados e até amesquinhados? O problema continua a ser falta de um canudo com laço universitário, quantas vezes conquistado num ano e aos fins de semana e feriados, ou canudo feito de notas de várias cores? Quem de direito, responda mas na prática, acabando, se possível, de vez com a triste sina popular que nos diz que os “santos de casa não fazem milagres”, porque fazem, pois conseguem, com o seu valor, transmitir uma imagem além fronteiras mais colorida do que a verdade, estrutural ou social, vivida na sua terra, muito por culpa da incompetência de quem se candidata para governar e muitas vezes tem saído dos cargos bem governado. Já agora devo informar que foram esta semana entregues ao autor mais umas dezenas de exemplares do “Aventuras de uma Vida” , fruto da reimpressão realizada na Gráfica que colabora com a Editora. E, vejam lá, não se esqueçam que uma verba da venda destes livros será atribuída à Casa dos Rapazes de Faro. Pois é, alguém de Faro ajuda uma instituição de Faro! Manuel Luís